Plano de Negócios Para Startups

Receba em primeira mão o conteúdo exclusivo do Blog, além de promoções de livros e cursos de programação. Você receberá um email de confirmação. Somente depois de confirmar é que poderei lhe enviar o conteúdo exclusivo por email.

Email inválido.
Blog /Livros /Plano de Negócios Para Startups

Plano de Negócios Para Startups

Vinícius Thiengo09/10/2016, Domingo, às 13h
(616) (7) (11)
Capa do livro "Plano de Negócios Para Startups" de Marcelo Toledo
Título
Plano de Negócios Para Startups
Categoria
Empreendedorismo
Autor(es)
Marcelo Toledo
Editora
Blog Marcelo Toledo
Ano
2016
Edição
Páginas
106

Opa, blz?

Terminada a leitura do livro "Plano de Negócios Para Startups” de Marcelo Toledo. Vi como um conteúdo interessante para compartilhar aqui no Blog.

O livro na verdade é um conjunto de artigos do blog do autor (http://marcelotoledo.com/) sobre plano de negócio para startups.

O conteúdo é direcionado para quem está buscando investimento para startups já criadas (já em operação) ou com ao menos o protótipo pronto.

Apesar de não ser tão conhecido como outras figuras do meio empreendedor (Carlos Wizard e Flávio Augusto, por exemplo) O autor tem 15 anos de experiência com startups e é co-founder da startup de pagamentos Payleven.

Logo no início do livro o autor fala o que já não é novidade no empreendedorismo, que empreender e trabalhar em uma startup não é fácil e muitas vezes leva muito tempo (até anos) para as coisas começarem a ficar fora do vermelho, mesmo ela crescendo dia após dia.

Até esse ponto pode parecer que o livro não terá nada muito importante a acrescentar, há até mesmo um trecho onde o autor fala sobre o comentário de um investidor americano, comentário sobre a apresentação de startups brasileiras para a captação de investimento. Algo próximo a: não conseguir nem mesmo apresentar as startups deles de maneira descente, terem um conteúdo de péssima qualidade.

Então o autor, depois de falar em mais alguns capítulos sobre investidores, startups, venture capitals e outros, enfim entra no Business Plan, mais precisamente o plano de negócios seguindo o modelo da empresa de capital de risco Sequoia Capital.

O plano de negócio da Sequoia é bem simples, porém contém o suficiente para mostrar o necessário ao investidor. Marcelo segue passo a passo no livro, a partir do capítulo 16, "destrinchando" esse modelo de plano de negócios. É a partir dai que o livro começa a ficar interessante.

Curiosidade: o plano de negócio da Sequoia Capital presa pelo uso de poucos slides e palavras e com os números necessários para mostrar a força da startup. Porém não confunda essa característica como algo exclusivo deles, pois a língua inglesa é uma língua comercial, onde poucas palavras já dizem tudo o que é.

Se ainda resta dúvida se o modelo seguido pela empresa Sequoia Capital merece tanta importância para a apresentação de startups para investidores, veja as empresas que já receberam investimentos dela desde sua fundação, em 1972:

  • Apple;
  • Google;
  • PayPal;
  • Oracle;
  • Airbnb;
  • Cisco Systems;
  • Instagram;
  • NVIDIA;
  • WhatsAPP.

Voltando ao livro… já no capítulo 16 o autor nos informa que o plano de negócios será um conjunto entre 15 a 20 slides com os conteúdos necessários para passar aos investidores o que é e o potencial da startup.

A partir do capítulo 17 o autor começa a apresentar ao leitor o que realmente deve vir em cada slide. Lembrando que o livro é gratuito e junto ao material tem o plano de negócio da Zeever, a princípio uma startup real que o autor foi um dos fundadores.

Alias, é nesse plano de negócio que o leitor percebe como o documento final é bem simples, ainda mais quando comparado ao modelo de negócio apresentado no livro "O Segredo de Luísa" de Fernando Dolabela.

O autor explica a importância de definir sua startup em apenas uma frase. Explica o que é o Vesting e quando utiliza-lo, alias a explicação de Vesting foi o ponto alto do livro.

Algo importante na explicação é que o autor sempre apresenta pequenos exemplos do que está sendo estudado.

Termos que não conhecia e que no modelo da Sequoia Capital são importantes: TAM (Total Addressable Market), SAM (Serviceable Addressable Market) e SOM (Serviceable Obtainable Market). São explicados detalhadamente de forma objetiva, pouco texto, mas o suficiente.

Um outro ponto alto do livro é a explicação do Roadmap, onde você fala o que já foi feito na startup, onde ela está no momento e o que será feito, a princípio, com o posterior investimento. O Roadmap deixa ainda mais claro os planos da startup e a entrega nela por parte dos envolvidos.

Algo que pode soar confuso é a apresentação dos números que a startup tende a fazer no mercado que ela vai entrar. Muitas vezes a startup ainda não entrou em operação a ponto de já ter disponibilizado esses números, mesmo que somente de início.

Mesmo nessa condição o autor indica que os números devem ser construídos baseando-se na concorrência, ou seja, depois de obter os valores reais da concorrência deve-se supor a fatia que a startup estaria brigando no mercado.

Mas o autor deixa claro que isso é um documento que os investidores sabem que não é final para o modelo da startup, ele sofrerá muitas modificações caso o investimento aconteça, pois o processo de aprendizado com o mercado, ainda mais no início das operações, faz com que isso ocorra.

Mesmo sabendo disso, das prováveis alterações na jornada da startup, o autor informa que deve haver seriedade em apresentar os dados, junto as fontes, mais reais possíveis. Os investidores estarão colocando dinheiro na startup, logo, supervalorizar ou não apresentar dados suficiente será prejudicial a apresentação.

Ponto negativo

  • O autor não fala se o modelo de negócio da Sequoia Capital substitui ou não o conhecido Pitch, pois o modelo da Sequoia é bem similar ao que seria um Pitch, apesar desse último envolver também a performance do representante da startup na apresentação do projeto;

Ponto de destaque

  • As explicações dos termos técnicos são muito claras, ainda mais no conteúdo sobre Vesting que é muito importante a qualquer um que for abrir startup com sócios.

Conclusão

O livro é muito bom e além disso é gratuito. É pequeno, 106 página, apesar de ter muitos capítulos, 40. Todos os capítulos são curtos, mas como falei anteriormente, as explicações são claras, enxutas.

Se você tem planos para uma startup ou já está engajado em uma, é uma excelente leitura. O autor é o mesmo do livro "Dono", esse é pago. Vou de cinco estrelas.

Link para baixar o conteúdo incluindo livro, modelo de plano de negócio e planilhas: http://marcelotoledo.com/plano-de-negocios-o-guia-absolutamente-completo.

A seguir deixo o link de um modelo que de business plan seguindo o Sequoia Capital, mais precisamente o plano de negócios do YouTube, não o original, mas adaptado ao Sequoia: YouTube Pitch Deck.

No link a seguir o deck "puro" do Sequoia Capital: Sequoia Capital Pitch Deck Template.

Um excelente blog com vários modelos de negócio, incluindo comentários sobre, é o AlexanderJarvis.com, vale a pena conferir e seguir se um de seus planos é ir para o mundo das startups.

Vlw.

Receba em primeira mão o conteúdo exclusivo do Blog, além de promoções de livros e cursos de programação.
Email inválido

Relacionado

Use a Cabeça! Padrões de ProjetosUse a Cabeça! Padrões de ProjetosLivros
Padrão de Projeto: Strategy (Estratégia)Padrão de Projeto: Strategy (Estratégia)Android
Checkout Transparente da Web no AndroidCheckout Transparente da Web no AndroidAndroid
Scrum - A Arte de Fazer o Trabalho na Metade do TempoScrum - A Arte de Fazer o Trabalho na Metade do TempoLivros

Compartilhar

Comentários Facebook

Comentários Blog

Para código / script, coloque entre [code] e [/code] para receber marcação especifica.
Forneça seu nome válido.
Forneça seu email válido.
Forneça o comentário.
Enviando, aguarde...